Pular para o conteúdo principal

Miss Julie




Adaptação da peça "Senhorita Julia" de August Strindberg, "Miss Julie"  de Liv Ullmann retrata o mundo patriarcal do final de século XIX e sua rígida hierarquia social, uma luta de classes representada por personagens psicologicamente complexos. Na noite de solstício de verão de 1890, a instável Julie, filha de um aristocrata incentiva o criado da casa a seduzi-la. O flerte entre eles é um constante desafio psicológico. A cozinheira, Cathleen testemunha e mantém em segredo o caso entre Julie e o criado, que acabará tendo consequências trágicas.

A versão de Liv Ullmann apresenta algumas alterações das versões anteriores, ao todo são três, a primeira de 1950 realizada por Alf Sjoberg que ganhou o Grande Prêmio do Júri (equivalente a Palma de Ouro) do Festival de Cannes. A segunda de 1999 de Mike Figgis e a terceira em 2003, pelo diretor brasileiro Sérgio Silva que ganhou o título de "Noite de São João". 

Nessa versão, todo o filme se centraliza no trio, Julie/John/Cathleen, com destaque para as atuações, em especial as femininas de Jessica Chastain como a sedutora, petulante e vulnerável Julie e a outrora dorminhoca Cathleen que agora saí da cozinha e ganha uma identidade e cuja atuação de Samantha Morton, não deixa a desejar. Colin Farrell está excelente como o arrogante John, que faz questão de deixar claro o quanto a pobreza o incomoda.



Cena do filme "Miss Julie" | Divulgação
  A presença de outros personagens, como os foliões e o barão se dá apenas sonoramente, mesmo quando eles se encontram próximos ou dentro da casa. O ambiente é claustrofóbico, quase toda a ação do trio se passa na cozinha e mesmo quando muda para o quarto dos criados ou da própria Julie, não há respiro. Em determinada altura os portões são fechados reforçando ainda mais o aprisionamento hereditário vivido por Julie.


 Para alguns pode ser um pouco longo e o uso do cenário e posicionamento dos atores pode parecer um teatro filmado, e não poderia deixar de ser, Liv Ullmann antes de ser diretora, é uma excelente atriz e em Miss Julie valoriza o trabalho de seus colegas, usa exatamente o teatro a seu favor para construir um belo filme.
 







Texto: Núbia Almeida



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A cueca sumiu

Quando as primeiras imagens do ator Henry Cavill, o novo interprete de Superman no set de filmagem vazaram começou o burburinho.  O novo uniforme do super-herói passou por uma reformulação e a clássica cueca vermelha desapareceu. Mas antes da cueca desaparecer ela já dava pano pra manga. Quem não se lembra da polêmica no volume peniano do ator Brandon Routh (Superman: O Retorno), que segundo os produtores teve que ser reduzido digitalmente porque poderia distrair os espectadores, mais tarde quando foram divulgadas fotos do ator usando cueca vimos que ele não é tão “super” assim. Mas antes de discutirmos porque o Superman perdeu a cueca, vamos descobrir porque ele a usava e por cima da calça. 







Nas décadas de 30 e 40 começaram a surgir os super-heróis, os artistas tinham algumas dificuldades para destacar detalhes masculinos e femininos e demostrar o poder e a força dos personagens, isso se devia as limitações técnicas da época como a qualidade do papel e a impressão que era feita em pre…

O carnaval vai ao cinema

O carnaval é a maior festa popular do país é muito mais do que um simples festejo, é um traço identitário da cultura brasileira.  A festa brasileira, luso-afro-ameríndia , sofreu influências da França, Itália, Portugal e se expressa de diferentes maneiras nas distintas regiões do país. Seja  com a escola de samba, o frevo, o maracatu, Timbalada, os blocos de rua, trio elétricos, carnaboi ou o boi-bumbá, durante quatro dias música, dança, costumes e tradições se misturam para celebrar os Brasis ao mesmo tempo em que promove a inclusão e interação, despertando o sentimento de unidade, de nação que muita das vezes é esquecido ou ignorado com o término da festa. Dada a sua importância para a cultura brasileira, o carnaval, o maior teatro de rua do país, curiosamente é pouco ou não é representado nas manifestações artísticas, com exceção da música. Embora o cinema tenha tido papel importante para a disseminação da música carnavalesca, hoje explora pouco a temática, sendo a maior parte das …

Globo de Ouro 2017 - Vencedores

Aconteceu na noite deste domingo (8) a cerimônia de premiação da 74º edição do  Globo de Ouro. A cerimônia apresentada por Jimmy Fallon teve vários momentos marcantes, a começar pela abertura no melhor estilo La La Land. O filme de Damien Chazelle, estrelado por Emma Stone e Ryan Gosling ganhou 7 estatuetas, ou seja, ganhou em todas as categorias em que foi indicado e se tornou o filme mais premiado do Globo de Ouro. 

O ponto alto da noite foi a homenagem a Maryl Streep, que após 30 indicações e oito premiações foi agraciada com o prêmio Cecil B. Demille  pelo conjunto da obra e fez um discurso contundente e politizado que você pode ver aqui






As atrizes Debbie Reynolds e Carrie Fisher, falecidas no mês passado também foram homenageadas. 


A surpresa da noite foi a vitória da francesa Isabelle Huppert, que ganhou na categoria Melhor Atriz Drama pelo filme "Elle" que foi o vencedor na categoria Filme Estrangeiro. Outra surpresa divertida foi o beijo consolação de Andrew Garfield …